Notícias e Eventos

Retrospectiva 2021: Principais desafios do setor de saúde em 2021

Enquanto em 2020 muitas instituições de saúde viram seus planos de crescimento serem totalmente descartados em decorrência da pandemia, em 2021 as instituições de saúde trabalharam para de certa forma “recompor o sistema”.

Não como sempre foi, mas de uma forma completamente transformada quanto aos cuidados da saúde, reconectando caminhos interrompidos e dando um salto gigante em direção a um sistema de saúde centrado no paciente.

Quase da noite para o dia, a Covid-19 “empurrou” pacientes, médicos, seguradoras e empresas farmacêuticas para plataformas virtuais e outras tecnologias digitais que muitos já haviam abordado com certa hesitação.

O atendimento virtual disparou e os comportamentos dos pacientes sofreram uma mudança radical neste último ano. Alguns desses desafios permanecerão em 2022 e as soluções para a saúde se concentraram principalmente em encontrar um novo normal.

Pacientes impulsionando e acelerando o ritmo das mudanças no setor de saúde

Novas necessidades e objetivos estão impulsionando a inovação em produtos, serviços e ferramentas relacionados à saúde. As preferências do paciente, enquanto consumidor, estão impulsionando o desenvolvimento de interações médico-paciente habilitadas digitalmente, sob demanda e altamente conectadas. 

Suas demandas estão impulsionando a transição para a prestação de cuidados centrados no paciente em todas as regiões e grupos socioeconômicos. E suas expectativas estão levando o segmento de saúde a uma nova experiência e inovação do modelo de atendimento.

Em 2021, as instituições de saúde tiveram que resolver os desafios de longa data de acessibilidade, acesso, qualidade e eficiência. Os modelos de atenção existentes impedem os esforços de adaptação e evolução para o futuro. Por isso, a busca pela inovação do modelo de atendimento visa basicamente ajudar a fornecer uma experiência mais eficaz e satisfatória para o paciente e o médico, além de reduzir a curva de custos.

A telemedicina precisava se manter como importante recurso na pandemia

Em 2020, a pandemia levou a um aumento nos serviços de saúde através da telemedicina. Os provedores de saúde tiveram que atender os pacientes onde eles estavam. 

De fato, houve resultados mistos devido ao grau de experiência em telemedicina existentes entre profissionais e instituições de saúde. Isso passou de uma alternativa a um método de prestação de cuidados de saúde primários.

No entanto, a telemedicina não é uma solução única para todos, e este foi justamente o desafio de 2021. Certas especialidades médicas se beneficiaram do atendimento virtual, enquanto outras não. Em alguns casos, pacientes precisaram de atendimento presenciais. Além disso, a falta de interação pessoal em alguns modelos de telemedicina levou a uma experiência abaixo da média para o paciente.

Em 2021, os provedores de saúde fizeram de tudo para ir além de fornecer uma telemedicina básica. As instituições de saúde buscaram soluções integradas que pudessem criar um atendimento médico virtual sem dificuldades que comprometesse o diagnóstico e tratamento médico.

Na prática, o setor de saúde precisou determinar quais especialidades eram mais eficientes com as visitas virtuais e quais não. Alcançar uma melhor experiência entre médicos e  pacientes foi um objetivo claro para as instituições de saúde que adotaram efetivamente a telemedicina. 

Além disso, setores internos, administrativos e financeiros, também tiveram que aperfeiçoar sua gestão operacional quanto ao atendimento virtual se encaixava no ecossistema de saúde mais amplo.

 

A necessidade de soluções digitais para facilitar a carga de trabalho dos médicos

Além dos pacientes, a carga de trabalho dos médicos é sobrecarregada com pesadas tarefas administrativas, além do desafio de sistemas de registros eletrônicos de saúde inadequados.

Documentos intermináveis ​​e requisitos regulamentares, a exemplo da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) foram um desafio para a eficiência dos médicos e dificultaram para que fornecessem uma boa experiência para seus pacientes.

As instituições de saúde precisavam investir em soluções tecnológicas visando a digitalização de documentos e a automação de processos de negócio. Os executivos ligados ao setor de saúde priorizaram a experiência clínica em 2021. 

Isso implicou em investir em tecnologias de saúde para desenvolver a eficiência operacional nos hospitais, beneficiando médicos, pacientes e toda a cadeia de suprimentos.

A construção de uma cadeia de suprimentos resiliente e responsiva de longo prazo

Um dos maiores problemas na área da saúde que surgiu em 2020 e se estendeu até 2021 foi a percepção de que as cadeias de suprimentos se tornaram rígidas, construídas em estruturas desatualizadas. A cadeia de suprimentos médica precisava ser mais ágil, transparente e diversificada.

O setor de saúde precisou entender os riscos da cadeia de suprimentos e aumentar a transparência com os fornecedores para evitar quebras e interrupções no fornecimento.

Na prática, os profissionais de saúde, no decorrer de 2021, precisaram de uma abordagem multifacetada para diferentes questões de saúde. Uma combinação de estratégias robustas, tecnologias intuitivas e parcerias-chave com provedores de serviços visando ajudar a melhorar a captação e entrega de serviços aos pacientes.

A continuidade da transformação digital e uso de dados interoperáveis nas instituições de saúde

A transformação digital pode ajudar organizações e o ecossistema de saúde mais amplo a melhorar as formas de trabalhar, expandir o acesso aos serviços e oferecer uma experiência mais eficaz ao paciente e aos profissionais médicos. 

Basicamente, três tecnologias desempenharam papéis cada vez mais importantes no decorrer de 2021: computação em nuvem, inteligência artificial (IA) e prestação de cuidados virtuais.

As organizações que estiveram fazendo a transição para sistemas de TI de saúde movidos por nuvem, ferramentas de dados e análises, digitalização de documentos e automação de processos buscaram alcançar um sistema de saúde digital, inteligente e em tempo real. 

Elas buscaram adotar dados interoperáveis ​​e plataformas apoiadas por recursos de aprendizado profundo, biossensores “sempre ligados” e pesquisa comportamental para moldar as crenças e ações do consumidor. Elas também tiveram como objetivo o atendimento virtual, IA e outras tecnologias para personalizar a medicina, permitir intervenções de atendimento em tempo real e fornecer estímulos comportamentais.

A digitalização de documentos e automação de processos é uma capacidade fundamental e necessária para permitir que os provedores de saúde, seguradoras e outras partes interessadas forneçam programas voltados para o paciente e tecnologias associadas. Quando implementado corretamente, pode ajudar a melhorar muito a prestação de cuidados e a capacitação do paciente e fornecer um sólido retorno sobre o investimento (ROI).

Madics Sign: A gestão de documentos digitais é fundamental na administração eficiente de hospitais e outras instituições de saúde, na adequação à LGPD, na integração nos sistemas internos e na digitalização de documentos

Oferecida pela E-VAL Saúde, O MADICS Sign é uma solução de assinatura eletrônica integrada ao prontuário eletrônico do paciente (PEP) que ajuda instituições de saúde a eliminarem papel em seus processos médicos e no uso da receita digital e atestados médicos. 

O MADICS Sign é a maneira mais fácil de eliminar o papel do hospital, melhorando a colaboração entre os médicos, enfermeiros e equipe multi, criando uma experiência incrível.

Considerada a solução mais indicada para eliminação do registro impresso do prontuário, o MADICS Sign se apoia na legislação vigente sobre a validade jurídica de documentos eletrônicos assinados digitalmente e nas resoluções que regulamentam a infraestrutura de certificação digital brasileira e o uso de certificados digitais no setor da Saúde. 

A solução permite a autenticação do usuário integrada ao sistema de prontuário. O hospital ou seu representante chancelam digitalmente o registro do prontuário e o registro de autenticação do profissional de saúde, garantindo a inalterabilidade do prontuário e autenticação, gerando uma evidência verificável por terceiros.​

Além disso, o MADICS Sign é um sistema híbrido que mantém a assinatura digital ICP-Brasil, transparente para o sistema de prontuário e operação.​ O hospital poderá manter parte dos usuários assinando digitalmente de acordo com sua avaliação.

Quanto tempo sua equipe está perdendo manuseando documentos em papel? Para muitos hospitais, a resposta é: “Não sabemos”.

Embora tenha havido uma mudança nos últimos anos em direção à digitalização de processos de saúde, como o uso de formulários de entrada online simples ou a implementação de sistemas como o prontuário eletrônico do paciente (PEP), muitas práticas ainda lutam com fluxos de trabalho em papel.

Isso pode incluir documentação em papel sendo passada fisicamente entre os membros da equipe, ou mesmo soluções de software não automatizadas, como o envio de um arquivo Excel por e-mail, por exemplo.

Muitos desses processos podem (e devem) ser digitalizados e automatizados, se não por uma questão de conveniência, mas por um outro motivo importante: o custo.

Os sistemas de fluxo de trabalho baseados em papel podem custar à sua clínica milhares de Reais anualmente, mesmo sem você saber.

Nos EUA, por exemplo, o uso de formulários em papel custa US $120 bilhões por ano.

Para as clínicas, a maior parte dos resíduos de papel vem de arquivos de pacientes, formulários de admissão e outros processos de papel relacionados ao atendimento ao paciente, bem como ao trabalho administrativo.

Embora, na prática, o PEP tenha mitigado algum desperdício de papel nas clínicas, isso simplesmente não foi suficiente.

Na verdade, espera- se que a demanda por papel dobre antes de 2030.

Forneça experiências de assinatura excepcionais e agilize assinatura de prontuário com MADICS Sign

É a maneira mais fácil de automatizar fluxos de trabalho de PEP. Use o MADICS Sign e elimine uma boa quantia de papel e dor de cabeça.

E-VAL Saúde, uma empresa do Grupo E-VAL

A E-VAL Saúde é uma empresa especializada em certificação digital, segurança da informação com foco em assinatura digital, autenticação e proteção de dados, em especial para assinatura digital de prontuários eletrônicos do paciente, gerenciamento eletrônico de documentos e demais documentos de seu hospital, operadora, laboratório ou clínica. A E-VAL Saúde tem mais de 10 anos de experiência no mercado da saúde.

Fale conosco, os especialistas da E-VAL Saúde terão o maior prazer em atendê-los, contribuindo para o desenvolvimento dos seus projetos e a melhoria contínua da segurança do seu hospital, operadora, laboratório ou clínica.

Até breve!

CookieDuraçãoDescrição
cookielawinfo-checkbox-analytics11 monthsThis cookie is set by GDPR Cookie Consent plugin. The cookie is used to store the user consent for the cookies in the category "Analytics".
cookielawinfo-checkbox-functional11 monthsThe cookie is set by GDPR cookie consent to record the user consent for the cookies in the category "Functional".
cookielawinfo-checkbox-necessary11 monthsThis cookie is set by GDPR Cookie Consent plugin. The cookies is used to store the user consent for the cookies in the category "Necessary".
cookielawinfo-checkbox-others11 monthsThis cookie is set by GDPR Cookie Consent plugin. The cookie is used to store the user consent for the cookies in the category "Other.
cookielawinfo-checkbox-performance11 monthsThis cookie is set by GDPR Cookie Consent plugin. The cookie is used to store the user consent for the cookies in the category "Performance".
viewed_cookie_policy11 monthsThe cookie is set by the GDPR Cookie Consent plugin and is used to store whether or not user has consented to the use of cookies. It does not store any personal data.
Functional
Performance
Analytics
Advertisement
Others