Novidades

Perspectivas e tendências para área da saúde em 2022.

Os desafios enfrentados em 2021 pela instituições de saúde mostraram a necessidade permanente de manter a agilidade nas operações administrativas e de atendimento médico, além da importância da colaboração e o papel das soluções que facilitam as cargas de trabalho do dia a dia, se tornando essenciais para os provedores de saúde e a equipe de TI.

Enquanto o coronavírus em 2020 alterou drasticamente a forma como a saúde é praticada em todo o mundo, 2021 teve seus próprios desafios únicos, a exemplo da campanha mundial em busca da imunização da população, variantes de COVID-19 poderosas e hospitais se equilibrando para cuidar de pacientes com e sem o vírus.

A tecnologia tem se mostrado crucial para manter a resiliência do setor de saúde diante de tantos desafios. Simultaneamente, a adoção generalizada da prestação de cuidados virtuais,  juntamente com o ritmo acelerado da criação e distribuição de vacinas, proporcionou esperança para muitos enquanto o mundo se ajustava ao que muitos estão chamando de “novo normal”.

Então, o que está reservado para 2022?

A telemedicina se torna um elemento permanente do cenário da saúde

À medida que o distanciamento social e os pedidos de permanência em casa mudaram o modelo de prestação de cuidados, muitos médicos e sistemas de saúde adotaram rapidamente os modelos de telemedicina e de atendimento virtual e viram os benefícios que isso pode trazer para o atendimento ao paciente.

Como resultado, a telemedicina deve se estabelecer como um elemento permanente no ecossistema de saúde. E olhando para 2022, espera-se que os próprios provedores de saúde estejam entre os primeiros a fortalecer e promover as melhores práticas de telessaúde  para suas equipes clínicas. 

Espera-se ainda que especialidades, a exemplo da saúde mental e atendimento de urgência, façam uma mudança permanente para um modelo predominantemente virtual. De fato, a telemedicina conduzirá o diálogo sobre os modos de acesso como uma questão não apenas de tecnologia, mas também de equidade nos próximos anos. Isso, por sua vez, terá grandes impactos no futuro da prática médica.

Hiperautomação em saúde

A hiperautomação em saúde refere-se à automatização da enorme quantidade de documentos gerados pelos registros médicos de pacientes e que são utilizadas para gerenciar o desempenho hospitalar. 

A Hiperautomação é uma tendência e está transformando a saúde como a conhecemos hoje. Associado ao uso do big data nas operações ligadas à saúde, o mercado deve movimentar US$ 34,27 bilhões até 2022 a um CAGR de 22,07%, de acordo com pesquisa conduzida pela McKinsey & Company. 

Globalmente, o segmento de automação e análise de big data deve movimentar cerca de US $ 68,03 bilhões até 2024. Esses números serão motivados principalmente pelos investimentos contínuos em registros eletrônicos de saúde, ferramentas de gestão de documentos e soluções de gerenciamento de força de trabalho.

A melhoria da qualidade acelera a necessidade da implementação de sistemas na nuvem mais eficientes

No rastro da pandemia que expôs as fraquezas e limitações dos sistemas de atendimento e pesquisa médica, 2022 antecipa o crescente interesse por ferramentas e soluções projetadas no ambiente de nuvem para encurtar o ciclo entre a identificação de problemas clínicos e a implementação de soluções de saúde baseadas em evidências médicas.

Iniciativas de pesquisa de melhoria de qualidade são essenciais para melhores resultados do paciente e desempenho financeiro, mas se esses programas são ineficientes em seus resultados, podem ser difíceis de revelar e implementar novas evidências com eficiência no contexto de uma prática clínica em constante evolução.

Em média, leva-se 17 anos para que uma pesquisa recém-publicada tenha ampla adoção e uso. Para acelerar a implementação mais perto do tempo real, as organizações de saúde terão que encontrar soluções desenvolvidas em uma arquitetura de nuvem para traduzir melhorias baseadas em evidências rapidamente em prática clínica.

Dados de saúde não estruturados devem ajudar pesquisadores a construir igualdade na saúde

A pandemia destacou as disparidades de saúde em diversas regiões do país. Essa maior conscientização, melhora a captura de dados a longo prazo. No curto prazo, o foco deve ser desbloquear os dados de saúde existentes que permanecem não estruturados. 

Em 2022, isso será fundamental para tornar o uso de dados mais prático para as instituições de saúde interessadas em todos os ambientes de atendimento, crucial para obter uma visão geral do problema de disparidade no atendimento à saúde.

Ferramentas de aprendizado de máquina, como processamento de linguagem natural e mineração de texto, podem ajudar as organizações médicas a revelar percepções valiosas de equidade em saúde em dados clínicos não estruturados que são difíceis de armazenar, pesquisar, analisar e compartilhar entre os sistemas de saúde. 

2022 será um ano crucial para fazer com que os dados de saúde ajudem no objetivo maior de fornecer o melhor atendimento em todos os lugares.

Monitoramento Remoto de Pacientes com uso da IoT

O monitoramento remoto de pacientes é uma tendência de TI da área de saúde que mantém os pacientes e seus prestadores de cuidados em contato contínuo para coordenar o tratamento e gerenciar doenças complexas. 

Para garantir o monitoramento ininterrupto do paciente, os médicos fornecem aos pacientes dispositivos IoT (Internet of Things) que consistem em vários equipamentos de medição vestíveis. Esses dispositivos medem dados de saúde críticos, lembram os pacientes de tomar seus medicamentos e enviam dados relevantes aos profissionais de saúde.

O monitoramento remoto de pacientes com uso da IoT deve em 2022 ajudar as instituições de saúde a reduzir o tempo, os custos e a fornecer cuidados de saúde de alta qualidade, mesmo sem atender seus pacientes.

Inovação em saúde a partir da tecnologia 5G

Como a Covid-19 continua impactando a saúde da população, a demanda por inovação em soluções para atender às novas demandas em saúde continua crescendo. A tecnologia 5g deve ser responsável por tecnologias promissoras que definirão o futuro da saúde.

Espera-se que a terapia assistida por smartphone se torne cada vez mais popular em 2022 com uso da tecnologia 5G. Muitos chatbots e aplicativos móveis já são usados ​​para analisar a voz e os padrões de fala dos pacientes para indicar quaisquer sinais de instabilidade emocional. A velocidade disponível através da conexão 5G deve fornecer o suporte necessário para redirecionar os dados para os provedores de saúde.

Além disso, soluções de rastreamento de sintomas online permite que os pacientes relatem seus sintomas diariamente, o que melhora e acelera significativamente o tratamento. No passado, a maioria dos pacientes relatava quaisquer novos sintomas somente durante as visitas regulares. 

Com a tecnologia 5G, os profissionais de saúde têm acesso a todas as atualizações 24 horas por dia, 7 dias por semana, o que significa que podem propor um tratamento com base nos dados de saúde que recebem dos pacientes diariamente.

LGPD deve aumentar a visibilidade e a necessidade da segurança cibernética em meio a ameaças contínuas

Os recentes ataques cibernéticos deixaram claro que os cuidados com a proteção e privacidade de dados relacionados à saúde continuarão a ser fortemente direcionados. Em resposta, os líderes de TI nas instituições de saúde devem ter visibilidade total de seus ambientes

A adoção dos requisitos previstos pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) é uma das principais maneiras pelas quais as equipes de TI em organizações médicas podem gerenciar o risco de um vazamento de dados e resolvê-lo rapidamente.

Madics Sign: Em 2022, as assinaturas eletrônicas serão fundamentais na gestão eficiente da saúde,  na integração nos sistemas e na digitalização de documentos

Oferecida pela E-VAL Saúde, O MADICS Sign é uma solução de assinatura eletrônica integrada ao prontuário eletrônico do paciente (PEP) que ajuda instituições de saúde a eliminarem papel em seus processos médicos e no uso da receita digital e atestados médicos. 

O MADICS Sign é a maneira mais fácil de eliminar o papel do hospital, melhorando a colaboração entre os médicos, enfermeiros e equipe multi, criando uma experiência incrível.

Considerada a solução mais indicada para eliminação do registro impresso do prontuário, o MADICS Sign se apoia na legislação vigente sobre a validade jurídica de documentos eletrônicos assinados digitalmente e nas resoluções que regulamentam a infraestrutura de certificação digital brasileira e o uso de certificados digitais no setor da Saúde. ​

A solução permite a autenticação do usuário integrada ao sistema de prontuário. O hospital ou seu representante chancelam digitalmente o registro do prontuário e o registro de autenticação do profissional de saúde, garantindo a inalterabilidade do prontuário e autenticação, gerando uma evidência verificável por terceiros.​

Além disso, o MADICS Sign é um sistema híbrido que mantém a assinatura digital ICP-Brasil, transparente para o sistema de prontuário e operação.​ O hospital poderá manter parte dos usuários assinando digitalmente de acordo com sua avaliação.

Quanto tempo sua equipe está perdendo manuseando documentos em papel? Para muitos hospitais, a resposta é: “Não sabemos”.

Embora tenha havido uma mudança nos últimos anos em direção à digitalização de processos de saúde, como o uso de formulários de entrada online simples ou a implementação de sistemas como o prontuário eletrônico do paciente (PEP), muitas práticas ainda lutam com fluxos de trabalho em papel.

Isso pode incluir documentação em papel sendo passada fisicamente entre os membros da equipe, ou mesmo soluções de software não automatizadas, como o envio de um arquivo Excel por e-mail, por exemplo.

Muitos desses processos podem (e devem) ser digitalizados e automatizados, se não por uma questão de conveniência, mas por um outro motivo importante: o custo.

Os sistemas de fluxo de trabalho baseados em papel podem custar à sua clínica milhares de Reais anualmente, mesmo sem você saber.

Nos EUA, por exemplo, o uso de formulários em papel custa US $120 bilhões por ano.

Para as clínicas, a maior parte dos resíduos de papel vem de arquivos de pacientes, formulários de admissão e outros processos de papel relacionados ao atendimento ao paciente, bem como ao trabalho administrativo.

Embora, na prática, o PEP tenha mitigado algum desperdício de papel nas clínicas, isso simplesmente não foi suficiente.

Na verdade, espera- se que a demanda por papel dobre antes de 2030.

Forneça experiências de assinatura excepcionais e agilize assinatura de prontuário com MADICS Sign

É a maneira mais fácil de automatizar fluxos de trabalho de PEP. Use o MADICS Sign e elimine uma boa quantia de papel e dor de cabeça.

E-VAL Saúde, uma empresa do Grupo E-VAL

A E-VAL Saúde é uma empresa especializada em certificação digital, segurança da informação com foco em assinatura digital, autenticação e proteção de dados, em especial para assinatura digital de prontuários eletrônicos do paciente, gerenciamento eletrônico de documentos e demais documentos de seu hospital, operadora, laboratório ou clínica. A E-VAL Saúde tem mais de 10 anos de experiência no mercado da saúde.

Fale conosco, os especialistas da E-VAL Saúde terão o maior prazer em atendê-los, contribuindo para o desenvolvimento dos seus projetos e a melhoria contínua da segurança do seu hospital, operadora, laboratório ou clínica.

Até breve!